top of page

Influenza é o mesmo que gripe?


Influenza em Crianças: Detalhes e Diagnóstico


Detalhes da Influenza

A influenza, comumente conhecida como gripe, é uma infecção respiratória causada pelos vírus influenza A ou B. Em crianças, a influenza pode causar uma doença grave, especialmente em menores de 5 anos ou em crianças com condições médicas subjacentes.


Sintomas Detalhados Os sintomas da influenza em crianças incluem:

  • Febre alta: Geralmente acima de 38°C, que pode durar 3 a 5 dias.

  • Calafrios e suores.

  • Tosse: Geralmente seca e persistente.

  • Dor de garganta.

  • Coriza ou congestão nasal.

  • Cefaleia (dor de cabeça).

  • Fadiga e cansaço.

  • Náusea, vômito e diarreia: Mais comuns em crianças do que em adultos.

Além dos sintomas comuns já mencionados, é importante estar atento a:

  • Dificuldade respiratória: Respiração rápida ou esforço para respirar.

  • Dores no corpo: Especialmente nas costas, braços e pernas.

  • Perda de apetite: A criança pode recusar alimentos e líquidos.

  • Irritabilidade: Bebês e crianças pequenas podem estar mais irritáveis e chorosos.

Diagnóstico

Para diagnosticar a influenza, o médico pode utilizar uma combinação de avaliação clínica e exames laboratoriais. Os principais métodos de diagnóstico incluem:

  1. Avaliação Clínica:

  • História dos sintomas: O médico perguntará sobre a duração e a gravidade dos sintomas.

  • Exame físico: Observação de sinais clínicos como febre, congestão nasal, tosse e dificuldade respiratória.

  1. Testes Diagnósticos:

  • Teste rápido de antígeno para influenza: Realizado com uma amostra de secreção nasal ou da garganta, este teste pode fornecer resultados em cerca de 15-30 minutos. No entanto, a sensibilidade pode variar, e resultados negativos não descartam completamente a infecção.

  • RT-PCR (Reação em Cadeia da Polimerase com Transcrição Reversa): Este é o método mais sensível e específico para detectar o vírus da influenza. Requer a coleta de amostras de secreções respiratórias e pode levar algumas horas a alguns dias para obter os resultados.

  • Cultura viral: Embora menos comum devido ao tempo que leva (dias a semanas), a cultura viral pode ser usada para confirmar o diagnóstico e identificar a cepa específica do vírus.

  • Testes sorológicos: São utilizados principalmente para pesquisa e não para diagnóstico rápido, pois detectam anticorpos contra o vírus, o que indica exposição prévia.

Complicações

As complicações da influenza em crianças podem incluir:

  • Pneumonia: Infecção nos pulmões, que pode ser viral ou bacteriana.

  • Desidratação: Devido à febre alta e perda de líquidos.

  • Otite média: Infecção no ouvido.

  • Sinusite: Infecção dos seios da face.

  • Exacerbação de condições crônicas: Como asma ou doenças cardíacas.

  • Síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA): Uma condição grave que pode levar à hospitalização.


Exames Complementares

Em casos graves ou complicados, podem ser necessários exames adicionais:

  • Radiografia de tórax: Para detectar pneumonia ou outras complicações pulmonares.

  • Hemograma completo: Para avaliar a resposta imunológica e identificar infecções bacterianas secundárias.

  • Oxímetro de pulso: Para medir os níveis de oxigênio no sangue, especialmente se houver sinais de dificuldade respiratória.

Considerações sobre Testes Diagnósticos

  • Momento da coleta: Para maximizar a precisão dos testes, as amostras devem ser coletadas dentro de 48 horas após o início dos sintomas.

  • Interpretação dos resultados: Um resultado positivo confirma a infecção, enquanto um resultado negativo, especialmente nos testes rápidos, não exclui a possibilidade de influenza e pode necessitar de confirmação com métodos mais sensíveis.

Tratamento e Cuidados

Tratamento

O tratamento da influenza em crianças geralmente inclui:

  • Repouso e hidratação: Manter a criança em repouso e bem hidratada.

  • Medicamentos antivirais: Em alguns casos, o médico pode prescrever antivirais como o oseltamivir (Tamiflu) para reduzir a duração e a gravidade dos sintomas.

  • Medicamentos para aliviar os sintomas: Analgésicos e antipiréticos como paracetamol ou ibuprofeno podem ser usados para reduzir a febre e aliviar a dor. É importante evitar o uso de aspirina em crianças devido ao risco da síndrome de Reye.

Como mencionado anteriormente, o tratamento da influenza em crianças envolve repouso, hidratação, e, em alguns casos, o uso de antivirais. Além disso:

  • Monitoramento em casa: Os pais devem observar sinais de complicações e buscar atendimento médico se os sintomas piorarem.

  • Prevenção de transmissão: Manter a criança afastada de outras pessoas para evitar a disseminação do vírus.

Conclusão

A influenza é uma infecção significativa em crianças que pode ser diagnosticada através de uma combinação de avaliação clínica e testes laboratoriais. A prevenção por meio da vacinação é a melhor forma de proteger as crianças, e o tratamento adequado pode ajudar a minimizar os sintomas e complicações. Os pais devem estar atentos aos sintomas e procurar orientação médica para um manejo adequado.



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating